29.1.08

NULLIUS - Paisagem Antárctica
Exposição Itinerante


A exposição NULLIUS - Paisagem Antárctica é mais uma actividade do Ano Polar Internacional no âmbito do projecto educativo LATITUDE60! Trata-se de uma exposição que visa cruzar arte com ciência e que foi elaborada por duas artistas do grupo ECTOPIA do Instituto Gulbenkian da Ciência, em colaboração com investigadores polares portugueses.


Inaugura já no próximo dia 1 de Fevereiro em Faro e vai estar aberta ao público nos seguintes locais:

Faro: 2 – 20 Fevereiro 2008 - Solar do Capitão Mor - abertura: segunda a sábado das 10h00 às 12h30 e 14h30 às 17h00, excepto feriados - (marcação prévia para grupos escolares para asalomem(at)gmail.com).
Exemplos de dinamização http://latitude60.blogspot.com/2008/02/brancanitos-na-exposio-nullius-no-dia.html

Estremoz: 25 Fevereiro – 13 Março 2008 - Centro Ciência Viva - abertura: terça a domingo das 10h às 18h

Proença-a-Nova: 17 Março – 03 Abril 2008 - Ciência Viva da Floresta - abertura: terça a sexta das 10h às 18h ; fins-de-semana e feriados das 11h às 19h
http://www.floresta.cienciaviva.pt/index.php?option=com_exposicao&task=read&cid=78&lang=pt_PT

Bragança: 07 Abril – 21 Abril 2008 - Espaço NERBA - abertura: segunda a sexta das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 19h00.
ver: http://latitude60.blogspot.com/2008/04/nullius-recebe-escola-secundria3-emdio.html

Porto: 28 Abril – 15 Maio 2008 - Reitoria da Universidade do Porto - Abertura: Segunda a Sexta das 10h00 às 18h30 ; Sábado das 10h00 às 13h00. Inscrições: Ana Martins:
anamartins@reit.up.pt ; tlf. 220408193

Aveiro: 19 Maio – 11 Julho 2008 - Centro Ciência Viva - abertura: terça a sexta das 10h às 18h ; fins-de-semana e feriados das 11h às 19h;
ver: http://www.cienciaviva.pt/divulgacao/anopolar/


Lisboa: 17 Julho – 14 Setembro 2008 - Museu Nacional de História Natural - terça a sexta das 10h às 17h, fins-de-semana 11h às 18h, excepto feriados. Contacto 21 392 18 79




28.1.08

Dormida com os tubarões - 4


No dia 26 de Janeiro, foi a vez dos 20 alunos vencedires da Escola Básica 1 e Jardim de Infância do Vimieiro disfrutarem do seu prémio de grupo com a construção de um Iglú.

As emoções ao rubro, como não era de esperar outra coisa. A "correria" para ver quem ficava a dormir à frente, mais perto do vidro do Globo Central onde nadam as magníficas mantas, tubarões pijama, garoupa, ...






E mais uma noite passou. E ninguém se importa de acordar bem cedinho para visitar todo o Oceanário.


As coloridas anémonas, estrelas e ouriços do mar






Os fantásticos Dragões do Mar



E, como tudo isto requer muito trabalho, foi-nos mostrado a parte de cima do Globo Central para ficarmos com uma ideia do trabalho que dá manter o espaço e alimentar os animais.


Momentos deslumbrantes os que se passaram aqui. E por mais que ca voltemos, estaremos sempre a aprender
Iglu Polar

O Bando dos 23 da Escola EB1 Veiga Ferreira fez, em parceria com a turma do 4ºB, um presépio para festejar o Natal Polar. As figuras principais do presépio foram concebidas recorrendo a sólidos geométricos (disciplina de matemática em acção).


Mas a componente ambiental não foi deizada de lado. A partir de um chapéu de praia velho (reutilização) fazer a "gruta".

É realmente fantástico conseguir cruzar tantas áreas disciplinares e sabendo que foi feito com o nosso projecto latitude, deixa-nos aonda mais orgulhosos, diria mesmo babados!

Obrigada por partilhar estes momentos deliciosos connosco professora Sandra Antunes. Aqui fica o nosso abraço a todos os alunos que participaram nesta iniciativa.
Teatro em Faro

No dia 21 de Janeiro, o teatro esteve ainda em Faro, a actuar para as crianças da Escola EB 2,3 Dr José Neves Júnior. Eu estive lá mas não vos vou dizer mais nada. Deliciem-se, é o que vos posso dizer.


video


http://latitude60.blogspot.com/2007/11/resultados-do-festival-internacional-de.html

Teatro em Olhão

A peça de teatro "Os Pólos da Nossa Terra" esteve foi no dia 21 de Janeiro a Olhão actuar para as crianças e professores do 1.º ciclo de Quelfes e Brancanes.

"Os miúdos e os graúdos adoraram", disse-nos a professora Filipa Silva da EB1 de Brancanes.



Como sempre, e concordo inteiramente com a professora Filipa, "os actores da Cativar foram muito profissionais e a transmissão da mensagem parecia de autênticos cientistas".

video

E a peça de teatro não fica por aqui. Contamos proporcionar estes bons momentos a muito mais escolas do nosso país.



Para todos um abraço GIGANTE.

video

para mais informação consulte http://latitude60.blogspot.com/2007/11/resultados-do-festival-internacional-de.html

e em

http://ameninadosmeusolhoseoplanetaazul.blogspot.com/2008/01/os-plos-da-nossa-terra.html

Teatro em Caxias

No dia 7 de Janeiro a peça de teatro "Os Pólos da Nossa terra" teve a honra de animar cerca de 200 crianças do Agrupamento de São Bruno - Caxias. Mostramo-vos aqui alguns dos testemunhos dos alunos do Alunos do 3º e 4º anos

Primeiro vimos um senhor a fazer de professor, ele falou um pouco das suas férias de Verão. E disse que as tinha passado no Brasil, e como sempre trouxe uma recordação. De repente a menina Aurora chegou, e pediu-lhe desculpa por ter chegado atrasada. Então começou a aula. Ele foi buscar o chapéu-de-chuva que tinha trazido do Brasil e fizemos um exercício. E inventámos uma música que era a seguinte:

A Terra é um planeta
Verde e azul
Mares e continentes
Pólo norte e pólo sul.”



Gostei da parte do urso polar que estava sentado no iceberg e o primo escorregou.


… fui ver um teatro do Latitude 60. A peça de teatro chama-se “Os Pólos da Nossa Terra”. Foi muito gira a peça de teatro. A parte que eu gostei mais foi a do professor e da Aurora (a aluna).


A minha parte preferida foi a do Pinguim que monta um puzzle para encontrar os seus primos. O Pinguim deu o mapa para o seu trabalho que era para fazer com a Aurora.

Eu aprendi que não devemos poluir o mundo porque os animais sofrem muito nos pólos Norte e Sul, temos que cuidar do nosso mundo porque se não o nosso mundo fica arruinado.


Alunos do 3º e 4º anos,
Agrupamento de São Bruno em Caxias

Dormida com os Tubarões - 3


Bem, dormimos a ver os tubarões, o cardume de cavalas, as raias e a manta do oceanário, os peixes-lua, garoupa, peixes-anjo, ... tudo numa calma gigantesca em fundo azul. Em frente ao globo central, cujo espeço vidro de 27cm nos separa do paraíso aquático, os 15 alunos do Jardim de Infância Veiga Ferreira ouviram atentamente a história que a Zé e a Sara contaram sobre a fada dos oceanos antes de adormecermos enfiados nos nossos sacos-cama.






Para que conseguíssemos compreender melhor o mundo dos tubarões, os 3 monitores do Oceanário que nos guiaram nesta aventura, explicaram-nos, logo ao início, como estes animais se alimentam, reproduzem, como se comportam, .... enfim, tiraram muitas das nossas dúvidas e receios que alimentamos, fruto de esteriótipos que os filmes muitas vezes nos ajudam a construir.







No dia seguinte de manhã bem cedinho, dia 19 de Janeiro 2008, e com o Oceanário todo por nossa conta, fizemos uma visita guiada a todos os espaços.





Nos aquários mais pequenos, um dos ovos de tubarão touro que havíamos visto na semana passada já tinha eclodido. Porque para quem não sabe, os tubarões têm 3 tipos de reprodução: ovíparos como é o caso dos tubarões de pontas brancas e de pontas negras; vivíparos, no caso do tubarão branco; e ovovivíparos, caso do tubarão touro.





As pequenas rais escondidas na areia quase nem se vêem. Mas desta vez tivemos sorte.





O grande caranguejo gigante parece não gostar muito de visitas. Ficou um pouco agitado mas também éramos muitos e de certo que ele não estava a contar com tantos convidados.





Os vistosos chocos já pareciam inicialmente mais curiosos pois nem se deixaram impressionar muito com a nossa presença.





Por cima do globo central, foi-nos explicado como se alimentam os peixes aí existentes e como se faz a limpeza e manutenção dos aquários.


A fotografia final do grupo não poderia deixar de ser junto ao VASCO - Vamos Ajudar a Salvar e Conservar os Oceanos. De certeza que estes alunos nunca mais vão esquecer estes momentos deliciosos e merecidos pois este é o fruto do esforço de participação no Concurso "Á Descoberta das Regiões Polares" que o LATITUDE60! promovido em Junho de 2007. Parabéns pelo empenho e obrigada à professora Sandra Antunes por estar presente no início para nos desejar a todos uma excelente noite de sonhos no fundo no mar.




Pinguins de Natal em Olhão




Os Brancanitos deixam aqui os votos de um Feliz Natal a todos



Teatro dos Pólos em Odivelas


No dia 22 de Outubro a peça de teatro "Os Pólos da Nossa Terra" e os actores, fizeram as delícias dos pequenos alunos da Escola EB1/JI Veiga Ferreira, Odivelas. A professora Sandra Antunes enviou-nos uma fotografias só para ficarmos com "água na boca".





16.1.08

Dormindo com os Tubarões - 2




A noite do dia 12 de Janeiro de 2008 começou às 20h00 para 19 meninos e meninas, 7 do Jardim de Infância e Escola Básica 1 de Ventosa, Lourinha, e 9 da Escola Básica 2,3 de Júdice Fialho.

A sessão de apresentação deu início ao grande cerimonial que nos esperava. Para nos acompanhar nesta aventura estavam lá a Patrícia, a Joana e a Teresa, 3 monitoras do Oceanário de Lisboa

E o que aprendemos...!!!


Olhem, por exemplo, que as raias pertencem ao mesmo grupo dos tubarões pois ambos apresentam um esqueleto cartilagíneo (sem estrutura óssea) e têm fendas branqueais. Uma das principais diferenças entre eles é que as fendas branqueais nos tubarões são de lado e nas raias são inferiores. Até vimos uma raia que mais parecia um tubarão. Se têm dúvidas, quando vierem ao Oceanário de Lisboa reparem como os tubarões nadam. Contorcem-se todos de um lado para o outro numa dança que mais parecem cães que não vêm o dono ha imenso tempo.


E os dentes dos tubarões?
Uns são finos, compridos e pontiagudos como o dente de um garfo; outros são largos e serrilhados, cortando como facas; outros apresentam uma composição mais elaborada; e ha mesmo os que nem dentes têm.

Já sei o que estão a pensar... Não, os tubarões não são os monstros que os filmes de terror nos querem fazer acreditar. São animais como todos os outros que precisam de se alimentar e lutam pela defesa do seu território.

Dormir a admirar tão belos e possantes animais, numa tranquilidade de água azul, foi uma tarefa um pouco complicada pois a emoção e ansiedade tomava já conta do nosso corpo. Mas passado pouco tempo o cansaço levou a melhor. Para fazer companhia ás diferentes espécies de tubarões (zebra, de pontas negras, cinzento, de pontas brancas, touro, de pijama, ...) estava lá um cardume de cavalas, peixes agulha, peixes palhaço, 2 peixes lua, águias-do-mar, ...


Apesar de muito cedo, acordámos no dia seguinte sem qualquer esforço tal era a ansiedade de ver tudo à luz do dia. Depois de um bom pequeno almoço, fomos brindados com um espectáculo de mergulho pelos coloridos papagaios do mar.

E a lontra Eusébio e a sua companheira Amália? Que gordos e lustrosos repousavam boiando de barriga para cima na sua piscina privada.

Os pinguins-de-magalhães la estavam, na sua vulgar pacificidade, assegurados por um ambiente bem mais fresquinho, como lhes convém.

As coloridas medusas, anémonas e estrelas do mar, são um verdadeiro desafio ao pintor mais arrojado.

Dos peixinhos pirilampo só se viu mesmo o piscar das luzinhas. Noite estrelada mais bonita numa sinfonia de brilhos que parecia feito especialmente para nós.
Os óvos de tubarão cá se encontram no aquário à espera de eclodirem. Ja se consegue perceber perfeitamente o vulto do animal que lá está dentro protegidinho pela casca composta de queraina.
E olhem só para estes Dragões do Mar que quase não se distinguem entre a vegetação


Que mais poderíamos desejar?

Pensar que tudo isto se encontra ameaçado no nosso planeta pois o respeito do homem pela natureza, pelos animais e seus habitats, está seriamente comprometido.

E é tão fácil contribuir: separar e reciclar os materiais; diminuir o consumo desnecessário de artigos e tentar ao máximo recuperar e reutilizar os que temos; racionalizar o consumo de água; reduzir ao indispensável o consumo de combustíveis; não desperdiçar comida e estar atento às origens dos alimentos e outros produtos que utilizamos; ...

Como vêm não é nada de complidado, basta querer e todos nós podemos.

8.1.08

No dia 5 de Janeiro decorreu a segunda actividade “Dormindo com os Tubarões” no Oceanário. Participaram 8 estudantes da Escola Secundária com 2,3 ciclo Lima de Freitas e um da Escola Básica 2,3 D. Pedro IV.

A actividade começou às 20h, onde os alunos foram recebidos pelos monitores do Oceanário, Luís e Sara. Depois da despedida dos pais, foi o momento dos alunos e monitores se apresentarem.

Em seguida os monitores explicaram como iria decorrer a noite e algumas regras muito importantes, de forma a não incomodar o “sono” dos peixes. Seguimos então para o local onde acampamos, deixando tudo preparado. Sentamos um pouco, onde o Luís e a Sara explicaram algumas curiosidades da vida dentro do aquário central.

Depois foi o momento da aula multimédia, onde aprendemos muito sobre a vida dos tubarões, que por sua vez, não é recente. Os tubarões existem desde dos tempos dos dinossauros!!! Os estudantes estavam muito bem informados, colocando constantemente perguntas aos monitores, tornando esta sessão muito interessante. Por fim, a mensagem ficou transmitida, sobre a importância dos tubarões no ecossistema marítimo.

Antes do lanche, houve tempo para uma pequena brincadeira. Utilizando uma massa, os alunos realizaram moldes dos dentes de tubarão. Ficou provado serem verdadeiros artistas.

Entretanto chegava a hora de ir dormir. Todo de pijamas e dentes lavados, deitados nos sacos camas, adormece-mos com o som do “fundo do mar”.

A alvorada foi às 7h da manha. Mesmo com alguns mais dorminhocos, rapidamente nos vestimos e tomamos o pequeno-almoço.

Com o Oceanário por nossa conta, realizamos uma vista ao aquário central e aos oceanos em seu redor. A ida aos bastidores foi o momento alto, onde podemos entender como os animais são tratados e alimentados. O entusiasmo era tanto que quando demos por nós estava na hora de ir para casa.

7.1.08

A entrega dos prémios do concurso nacional "À Descoberta das Regiões Polares" continua. Iniciaram-se a 4 de Janeiro de 2008 a primeira das 5 actividades de "Dormindo com os Tubarões".

Nesta primeira dormida participaram as alunas da Escola Básica 2,3 Lima de Freitas, que ao que parecia na manhã de dia 5, tinham adorado.

A actividade iniciou-se às 20h00 de dia 4 de Janeiro, sendo as alunas recebidas pelos educadores marinhos, João e Andreia, que efectuaram uma pequena apresentação do seu trabalho e pediram para que todas se apresentassem de modo a nos podermos conhecer melhor.

Depois desta pequena apresentação e das informações de como decorreria a noite foi altura de irmos montar o acampamento e espreitar um pouco do aquário central que ainda se encontrava iluminado.
E tivemos uma verdadeira aventura ao olhar para este aquário, uma vez que conseguimos presenciar 2 coisas que até o João e a Andreia nunca tinham visto, apesar de já aqui trabalharem à muito tempo. A primeira foi a predação de um charéu por um tubarão. A relação predador-presa no Oceanário é praticamente inexistente uma vez que todos os animais que se encontra aqui estão bem alimentados e por isso não sentem necessidade de atacar os seus companheiro de habitação. De tão estranha que foi esta atitude, na manhã seguinte iria ser comunicada aos biólogos de serviço, para que verificassem se existiu algum facto que levasse o tubarão a agir daquela forma. E como se já não bastasse de aventuras eis que presenciámos a acasalação de dois tubarões zebra, como se pode ver na fotografia seguinte.

Depois de vermos e aprendermos enquanto olhávamos para o aquário central foi a altura de termos uma pequena aula sobre tubarões dada pelo João.

Nesta aula aprendemos sobre as características e comportamentos dos tubarões e acima de tudo percebemos que os tubarões não são inimigos do homem, mas que este, para não ser atacado deverá respeitar o habitat deste animal tão peculiar.

Tivemos ainda a oportunidade de mexer em dentes de tubarão verdadeiros, e também em moldes, e de ver os dentes verdadeiros ao microscópio,

de ver uma cria de bébe conservada,

e ver ovos de tubarão.Depois desta aula onde tanto aprendemos, tivemos a oportunidade de construir um dente de tubarão em pasta de moldar que no dia seguinte de manhã levaríamos para casa.

E como a noite já ia longa, foi altura de comermos o nosso lanche antes de deitar e de nos irmos preparar para o nosso acampamento com vista para o aquário central, e que vista!!!

No dia seguinte a alvorada foi bem pela fresca, eram 7h00 da manhã e já estávamos fora dos sacos-cama. Era altura de nos arranjarmos, tomar pequeno-almoço e preparar para uma visita ao oceanário e ainda aos seus bastidores.

Nesta visita tivemos a oportunidade de ver 4 oceanos diferentes que se encontram representados no Oceanário (Índico, Pacifico, Atlântico e Antárctico) e de ver como a actividade começa bem cedo no Oceanário com a limpeza dos espaços e dos aquários.